É o grande problema interior, aquele de cada um e de todos. É o problema da alma, que descobre em si mesma um abismo de trevas e de luz, que se contempla com uma mistura de encantamento e de pavor e se diz: "Eu não sou deste mundo, pois ele não é suficiente para me explicar".
Os grandes Iniciados- Édouard Schuré

17 de dez de 2012

Vamos cooperar...

17/12/2012
8+3+5=
16/7





Estamos aprendendo a trabalhar com as energias em nós de forma equilibrada. Uma das sete leis Herméticas diz que todos os paradoxos podem ser reconciliados. 
Pois bem, estamos no caminho de manifestar esta reconciliação. Estamos já a algum tempo indo de extremo a extremo, nos fluxos e refluxos da vida para aprender a sermos inteiros. Quando aprendermos a unir as metades em nós estaremos curados. 
Não sei ainda muito bem como isso funciona na prática, mas tenho algumas pistas. 
Primeiro: Como disse o Osho no texto a respeito do amor é preciso calar em nós as vozes internas que nos transformaram em algo que não somos. Essas vozes dizem a todo tempo que somos inadequados e quando agimos a partir delas reforçamos os padrões da dualidade: certo/errado, bom/mal. O amor flui a partir de mim quando me respeito e deixo minha energia livre para experimentar o que desejo. Chega de julgamentos. Apenas tenho que agir de acordo com minha essência. 
Segundo: Quando faço um julgamento guardo nos meus registros internos apenas o julgamento, não mais o acontecimento em si. Quando experimento algo semelhante, automaticamente recorro a este registro e reajo exatamente da mesma forma que reagi no passado. Esta reação não é livre, não foi escolhida e pode ser até mesmo uma repetição da reação de meus antepassados. Apenas tenho que agir de forma nova, a partir de mim e assim sair da prisão da repetição para viver o novo.
PS: O raio da torre do arcano 16 (A Torre) é uma intervenção divina para desestruturar o velho para que o novo aconteça. Aproveite para dar novas respostas ao invés de tentar juntar os destroços e reconstruir a mesma torre.
Terceiro: Não me perder de mim mesma. Quando eu me deparo com uma situação, seja ela qual for, respiro, mergulho em mim concentrada no meu cardíaco e a ação vem a partir daí. Reagir já não funciona mais. 
Quarto: O dar e o receber. A ajuda está sempre disponível para todos nós, mas é preciso que eu a receba.    Para além do julgamento, conectada a minha essência sempre sei o que dizer e o que fazer e isto faz o TODO fluir e eu sou parte deste TODO que flui. Minhas ações não são isoladas, o que vibro faz vibrar o TODO. Quando escolho dar e receber amor, confiando na minha orientação interior e na ajuda que vem de Deus tudo é o que deve ser.
Reparti em etapas para ficar mais didático apenas, mas tudo isto que está descrito acima faz parte de um mesmo movimento, de uma mesma ação conectada. A base de tudo é estar conectada a você e mesmo, ou seja a Deus. Sinto que existem muitas coisas ainda para compreender e colocar em prática. Quero aprender de forma clara, tranquila e feliz. Se alguém tiver algo a acrescentar será muito bem vindo.
Convido a todos a entrar no ganha/ganha. Vamos cooperar?

Nenhum comentário:

Postar um comentário