É o grande problema interior, aquele de cada um e de todos. É o problema da alma, que descobre em si mesma um abismo de trevas e de luz, que se contempla com uma mistura de encantamento e de pavor e se diz: "Eu não sou deste mundo, pois ele não é suficiente para me explicar".
Os grandes Iniciados- Édouard Schuré

30 de set de 2011

Reconstruir...

30/09/2011
3+9+4=
16/7




"Psicologicamente falando, muitos de nós vivemos "no ar", aprisionados em torres ideológicas feitas por nós mesmos; pois a torre pode simbolizar qualquer construção mental, política, filosófica, teológica ou psicológica, que nós, seres humanos, construímos, tijolo por tijolo, com palavras e idéias. Como os seus equivalentes físicos, as torres são úteis para nos proteger contra o caos, para uma retirada ocasional, e como situação favorável para determinar nossa posição em relação à visão mais ampla." Sallie Nichols- Yung e o tarô.

Quais as prisões que construímos em volta de nós?
 A idéia de que não somos bons o suficiente, ou que somos bons em tudo, que sabemos tudo... 
idéia de que nossas escolhas já foram feitas e que nada podemos fazer para mudar a situação... 
E quantas outras prisões que nos impomos no dia a dia... 
É preciso ousar... sair da zona de conforto"... coloco conforto entre aspas porque muitas vezes o que tentamos manter para que tudo permaneça igual é justamente o que nos traz sofrimento... 
Entrar em contato com nosso ser honestamente... vendo em nós tanto o que gostamos, queremos e aprovamos e o que não queremos gostamos e aprovamos nos dá a chance de liberdade... 
O raio da torre pode ser usado para desconstruir as prisões que criamos... 
Saímos da influência das características negativas do 16 em numerologia: vaidade, preconceito traição para que haja uma reconstrução que nos leve a perfeição (7), tendo os dois canais funcionando dentro de nós... o espiritual e o material...

Hoje sou inteira... reconstruo a minha vida em conexão com Deus... no meu melhor!!!

29 de set de 2011

Transcender...

29/09/2011
11+9+4=
11+4




O 11 nos fala a respeito de transcender...
O que significa ir além dos limites do conhecimento...
Mas como podemos transcender no dia a dia? Em nosso mundo manifesto (4)?
 Para que possamos ir além do que conhecemos em primeiro lugar temos que reconhecer que não sabemos tudo, que não somos donos da verdade...
Estar abertos as possibilidades, que são infinitas...
Em conexão com nossa essência podemos ir além e dar os passos necessários a um mundo novo...
Estar atento ao que o dia dia  traz de informação... quando as sincronia aparecem sabemos que estamos no caminho certo...
Cada um de nós veio a este planeta realizar algo, e este algo é individual e intransferível... por isto não podemos generalizar... o meu caminho certo, com certeza não será o seu...
Sabe quando vem a mente aquele amigo que não vemos a anos e no mesmo dia esbarramos nele? Isto é sincronia... Quando acontecer algo do gênero fique atento!!! Existe uma mensagem para você... para lhe conectar ao seu caminho, ao seu melhor... é uma pista do rumo que você deve seguir...

Hoje me abro as sincronias... estou atenta... dou os passos necessários para manifestar além dos limites do que me é familiar!!!

28 de set de 2011

Sincronia...

28/09/2011
1+9+4=
14/5


Na simbologia da cabala, o 14 representa perfeição, assim como o 7...
 2X7=14...
Me lembro dos jarros da temperança...
 A perfeição precisa da união dos pólos...
Em um primeiro momento da união do céu (3) com a terra(4), depois da união dos pólos...
Como unir no dia a dia nossas polaridade?
 Como encontrar a medida exata?
Estando onde deveríamos estar, fazendo o que viemos fazer...
Olhe a beleza a sua volta, expanda sua energia e espere as sincronias...
Elas te levarão para o que você deveria estar fazendo... elas te aproximarão de você...
Hoje encontro o meu lugar!!!

27 de set de 2011

Viva e deixe viver...

27/09/2011
9+9+4=
22







O que é um verdadeiro mestre?
 Aquele que ensina com palavras? 
Papagaio repete, o mestre tem sabedoria... Realiza em sua vida, não fica dando sermão... 
É fácil subir em um banquinho, se rotular de mestre e sair por aí dizendo aos outros o que é certo e errado... Muitos religiosos fazem assim... Mas isto nada tem a ver com ser mestre... 
Veja o que Jesus fez... caminhou com seu povo... Quando ele queria mostrar a possibilidade da inclusão, ia ter com os leprosos, conversou com a samaritana... Quando queria mostrar a possibilidade da cura, ajudava o cego a ver... Seu coração estava aberto, vivo e pulsante... a vida pulsava em cada célula... Jesus não veio ensinar uma receita de bolo, ele veio ensinar que podemos ser quem somos, parte de Deus...
Quando ajo do mesmo modo, quando encontro minha verdade, quando realizo minha missão, quando estou em meu melhor... sou como um link para que aquele que desejar possa se conectar...
Não a minha verdade, minha missão, meu melhor, mas a ele mesmo... com sua própria verdade!!! Deus está dentro e não fora... Não encontraremos Deus sendo macacos de imitação...
Verdadeiros mestres não buscam seguidores!!!






Hoje aprendo a viver no meu melhor e ser aquela que transborda vida... Viva e deixe viver!!!



Durante nossas vidas aprendemos a valorizar coisas que não são fundamentais. Materialismo, modismo, poder, status, e coisas desse tipo, são o que importam na nossa sociedade. Por isso, queremos convocá-los pra uma revolução.
Vamos renovar a espécie humana.
Vamos investir na alma.
Resgatar não só a natureza, mas o natural.
Vamos vender mais paz, vamos filtrar as emoções, qualecer a inveja, contabilizar as boas relações, reciclar as relações ruins, reatar as velhas amizades.
Equipe o prazer, trabalhe a perseverança, vença o cansaço.
Faça a diferença sem precisar de propaganda.
Resolva tudo sem alarme.
Use o marketing da sinceridade, cobre o profissionalismo de todos, inclusive daquele que você elegeu.
Vamos maximizar a energia.
Preservar os recursos, tratar a água, pois ela é nossa fonte de vida, e como o ar também é meio de vida.
Vamos ser transparentes.
Renove o estoque de sorrisos, canalize os bons pensamentos, use o marketing do amor. Abrace mais, beije seus amores, relembre o quanto o ama. E com a mesma força, diga não; ao racismo, à intolerância, à discriminação.
Seja saudável, inclusive nas atitudes.
Dê bons exemplos, diga a verdade, principalmente às crianças, para que elas cresçam sabendo acreditar.
Crie seus filhos como cidadãos do mundo. Cultive Deus.
E viva! Na razão da emoção, lutando pela felicidade plena, por um mundo melhor. E agradeça sempre por estar neste mundo.
(Extraído do comercial da MetalSinter)


Onde é que você vai com tanta pressa
Com esse ar de quem tem muito o que fazer
Se eu posso lhe pedir alguma coisa eu lhe peço: senta
aqui
Como um dia eu sentei naquele poço
E a amizade visitou meu coração
Fui amigo e o esposo que faltava e hoje pode ser
também assim
Os seus olhos me revelam tanta sede e não sou
indiferente a sua dor
Mas tem coisas que não faço, não são minhas, dependem
somente do seu querer
O milagre se dará por duas vias
Uma é minha e a outra deixo pra você
Se você trouxer a mim a sua água eu devolvo vinho
Chega mais perto, não tenha medo
Não diga nada, silêncio é palavra que não faz segredo
Se for preciso enxugo o seu rosto
Lágrimas são fragmentos de história que posso
entender
Eu lhe vejo entrelaçado em tantos erros
Machucando tanta gente sem saber
Infeliz vai se tornando pouco a pouco, por favor,
queira voltar
Não prometo dar-lhe um jardim de flores
Mas prometo a força pra poder plantá-lo
E asseguro no cultivo estar bem junto, se preciso, lhe
consolar
Cantaremos a semente germinada, podaremos o que não
puder crescer
Cada poda há de ter ensinamento eu vou lhe ajudar a
compreender
Sou o verbo do princípio feito carne
Sou o Deus que resolveu ter coração
E hoje está sentado à beira deste poço
Mirando o seu rosto, na voz deste moço, lhe dando um
recado
Que se for possível espero visita, não tarde em
chegar
A casa é a mesma, o mesmo endereço, espero por lá
Chega mais perto.

26 de set de 2011

Voar...

26/09/2011
8+9+4=
3






Número do crescimento, da expansão, do desenvolvimento... 
Ontem estava vendo um vídeo a respeito da lei da atração que me fez muito sentido. 
Nossa manifestação é apenas uma projeção holográfica que usamos para trazer até nós as experiências que precisamos no momento para crescer, expandir, nos desenvolver... 
Se despertamos para esta realidade e passamos a nos responsabilizar pelo que criamos tudo fica mais fácil... Sei que muitas vezes relutamos em aceitar, principalmente quando nossa vida não está como gostaríamos que fosse... 
Mas pensem: se eu criei o que não gosto, posso também criar o que gosto!!! Isto é libertador... 
Use o intento, projete o que deseja, descubra quais são seus sonhos, o que veio fazer aqui... 
siga as pistas... 
não desista... 
Quando você está consciente tudo conspira a seu favor...
Hoje me abro para o meu melhor, me expando, cresço para além do que imaginava ser possível!!! Começo a Voar!!!

25 de set de 2011

A Vida...

25/09/2011
7+9+4=
20
2



Dia para que ressuscitemos... 
Mas para que possamos renascer, precisamos unir essência e substância... Quando deixamos de lado o feminino e o que ele nos traz: intuição, parcerias, visão do todo... nos limitamos imensamente... A união do masculino e do feminino dentro de cada um de nós torna a nossa vida fértil...
Hoje eu planto em plenitude para colher os frutos que são meus sonhos realizados...
Sonho com uma vida mais plena...
Com parcerias que sejam frutíferas para todos os envolvidos...
Com um mundo mais humano a medida que eu mesma me torno mais humana...
Um mundo em que a alegria seja o habitual... o sorriso, encontrado em cada passo do caminho...
O meu, o seu, reunidos... Em uma grande celebração a VIDA!!!

Vida Nova

Você quer mudanças. Você pede prosperidade.
Mas acorda, vai ao espelho e não vê novidades.
A vida transcorre igual pálida, sem a energia que você gostaria.
Sua voz interior sopra " Vida Nova ", mas tudo parece distante e difícil.
A culpa fica por conta do patrão, da sogra, do governo, da falta de sorte,
Aí você resolve mudar! Bem... " mas só segunda-feira",
" dia 1º " , " depois das férias " ...
Não raro, prevalecem outros fatores condicionais:
" Se eu tivesse dez anos menos ", " se eu ganhasse na loteria " ou " quando eu me casar " , " quando eu me aposentar " ...
Desculpas não faltam, não é mesmo?
Hoje pode ser um novo dia. Basta você querer.
Se fizer as mesmas coisas de ontem, obterá os mesmos resultados de agora.
Então, é preciso agir diferente e, claro, com ousadia positiva e forte determinação.
Afinal, Deus nunca vai fazer por você aquilo que você mesmo pode fazer...
Chega de enrolar a si próprio! É preciso agir!
É preciso decretar as mudanças que tanto almeja!
" Mudar " significa inovar, alterar costumes, processar com coragem e força de vontade as transformações que se fazem necessárias.
Chega de assistir à vida passar do alto da cômoda cadeira dos críticos!
Chega de se colocar na condição de vítima!
Você pode e sabe que pode melhorar a sua vida.
A conquista de uma Vida Nova requer persistência e autoconfiança.
Mas exige, sobretudo, que você elimine de vez o vício de tudo adiar, entendendo, definitivamente, que está mais do que na hora de mudar...

Autor desconhecido...


24 de set de 2011

Olhos...

24/09/2011
6+9+4=
19
1





Quando pensamos em liderança, de um modo geral, logo nos vem a mente aquela pessoa que nos manda fazer as coisas a seu modo...
 Mas o verdadeiro líder, conhece todas as etapas do processo e sabe conduzir sua equipe para atingir as metas que deseja... 
Um líder de verdade não é líder do outro, é líder de si mesmo... sua percepção vai além do que lhe ensinaram, não se prende a visão coletiva de como as coisas funcionam... Sabe colocar seu potencial para funcionar no mundo, cooperar e trabalhar em equipe... 
Mais do que nos falar sobre liderança, o 1 nos fala de começos, ou de recomeços... Um novo ciclo se descortina bem diante de nossos olhos... Podemos abraça-lo com os olhos que nos deram ou abrir nossos próprios olhos...
Hoje abro meus olhos para ver por mim mesma a beleza do mundo!!!

23 de set de 2011

A lua...

23/09/2011
5+9+4=
18
9



O Arcano 18 do tarô é a Lua, um símbolo feminino, representa o que está escondido, as águas do inconsciente, a noite escura da alma. Mas o que isto teria a ver com o 9 da numerologia? 
Ora, como encontrar o Amor Universal, se não nos conhecemos por inteiro? Se não mergulharmos em nossas profundezas? Mergulhar em nosso inconsciente... Água é símbolo de vida-morte-vida... é o ciclo manifestado... Retornaremos fortalecidos deste mergulho e seguiremos rumo ao que realmente nos importa... 
Olhar o feminino como o mal, é negar a existência... é negar quem somos... Temer este encontro, é temer a vida... é continuar a vagar pelo mundo como zumbis, apartados do Agora, apartados da Fonte, apartados de Deus...
Ao resgatar o que está escondido, nossos dons profundos: intuição. visão do todo, consciência de sermos parte do todo, cooperação, dentre tantos outros, podemos entender melhor o 9. 
Entender que não chegaremos a nenhum lugar sozinhos... 

Hoje eu passo a me conhecer melhor, a ser mais inteira!!!


Esta é a hora da verdade do herói, tempo de terror e reverência. A experiência da travessia é familiar a quantos fizeram a jornada rumo à autocompreensão. Os místicos lhe chamavam a "Noite Negra da Alma". Em mitos e lendas, aparece como a "Jornada Noturna do Mar", onde, tradicionalmente, como Jonas na barriga da baleia, o herói precisa vencer o monstro que pode devorar-lhe a consciência e mantê-lo cativo. Em termos psicológicos, isso lhe simboliza a vitória sobre os aspectos devoradores do inconsciente, o qual, de outro modo, engoliria a consciência do seu ego, acarretando a psicose.
Sallie Nichols- Jung e o Tarô.





22 de set de 2011

4° Dimensão...

22/09/2001
22+9+4=
22+4





Estamos em um período de de transição, vivendo entre mundos como disseram os Maias...
O novo ciclo da terra está em branco, para que nós o escrevamos... Atentem para isto... Você, com seus pensamentos, sentimentos, projeções, está criando agora o mundo que vai vivenciar em breve...
Estamos vivenciando a quarta dimensão, rumo a quinta.
O que acontece com a quarta dimensão?
Muitos de nós estão vivenciando depressões, estados de pânico, tristezas inexplicáveis, enfim... É a tão falada noite escura da alma...
 Isto está mais intenso em nossos dias, porque  a quarta dimensão é mais um estado de espírito do que um lugar... estamos tomando consciência do AGORA... 
O que devemos fazer neste momento? Pensar por si mesmo, deixar de reproduzir as "verdades" coletivas...
Estamos realmente aprendendo a ser mestres de nós mesmos para então, poder manifestar isto ao mundo e ser pelo menos uma chama que sinalize o caminho para os que estão entrando neste processo...
Hoje Meu ser se expande e ilumina tudo ao meu redor!!! Em conexão com Deus, com a Fonte!!! Eu me manifesto, me responsabilizo, tenho voz!!!!

21 de set de 2011

Deus estará ali...

21/09/2011
3+9+4=
16/7





Bem estranha esta ilusão de separação... está cada vez mais a parte de quem eu estou vindo a ser... Como Deus, a Fonte, o Todo, estaria impedido de entrar? Somente em uma torre de ilusões...
A partir de hoje uso o raio como uma benção... para destruir o que não está em sintonia com que EU SOU... Aceito que faço parte do Todo e esto ligada a TUDO...


O Trunfo número dezesseis retrata duas figuras humanas que estão sendo violentamente lançadas de uma torre atingida por um raio (Fig. 70). A sua expressão é de aturdimento, mas elas não parecem feridas. A própria torre não foi demolida, mas a língua de um relâmpago, com aspecto de chama, fez pular fora a coroa de ouro que lhe servia de teto.
            Talvez a primeira associação do leitor com essa imagem tenha sido a Torre de Babel, edifício construído por Ninrode para escalar o céu. De acordo com o relato bíblico, o ato ímpio de Ninrode suscitou a cólera e a vingança de Deus, acarretando a desarmonia e a confusão das línguas na Terra. A conexão entre o Taro e a Torre de Babel é propositada, pois se diria que os dois humanos aqui pintados incorreram na ira celeste e estão sendo lançados de uma posição de altiva segurança para outra de exposição e confusão.
            O que tornou o ato de Ninrode duplamente ímpio foi o fato de que as torres da antiga Mesopotâmia, longe de serem erguidas como fortalezas para desafiar o céu, eram geralmente criadas como templos de adoração. Competia-lhes elevar a mente e o coração do homem e proporcionar meios aos deuses de descerem à Terra, assegurando assim a intercomunicação entre os reinos celeste e terreno. Consoante antigo mito, ocorrera em outros tempos um rompimento entre os Pais do Mundo (o céu e a Terra), e esperava-se que, pela edificação das torres se pudesse desfazer o rompimento e restaurar a fecunda interação entre as duas potências primárias.
            Simbolicamente, portanto, a torre era concebida, a princípio, como veículo para ligar o espírito à matéria. Fornecia uma escada, pela qual os deuses poderiam descer e o homem subir, dramatizando assim o conceito de que existe uma correspondência entre as ordens terrena e celeste. A antiga idéia sumeriana da ordem cósmica é ampliada por Alfred Jeremias da seguinte maneira: Considera-se o cosmo todo como penetrado de uma vida só, de maneira que há uma harmonia reconhecida entre os modos superior e inferior do Ser e do Vir-a-Ser. O pensamento informativo da visão sumeriana do mundo é: "O
que está em cima está embaixo"; e dessas duas direções de movimento espiritual são projetados: o Superior desce, o Inferior sobe — De mais disso, julga-se a inteireza do Superior e do Inferior cheia de divinas presenças espirituais, que passam como "energias celestes" para cima e para baixo. [Joseph Campbell (citando Jeremias), The Mythic Image, Princeton, Nova Jersey, Princeton University Press, 1974, Parte H, pág. 87].
            É evidente que a torre do Taro não foi construída como escada para as "energias celestes". Parece tratar-se de uma torrezinha particular, habitada por duas pessoas. Selada no topo, não convidava visitas do céu nem permitia que o calor ou a iluminação entrassem por cima. Os dois que ergueram o edifício coroaram-no rei, indicando assim que não reconheciam autoridade alguma acima da sua própria criação. Não há portas pintadas na estrutura, por meio das quais os habitantes pudessem entrar ou sair à vontade ou receber convidados, e as janelas são muito pequenas.
            Podemos fazer uma idéia de quão escura e isolada deve ter sido a vida dos dois habitantes da torre, elevados acima da terra da natureza, separados dos semelhantes e dos deuses. Hão de ter vivido como prisioneiros. Não há dúvida de que suas mentes e corações também eram tão frios e escuros quanto o seu ambiente e tão firmemente cerrados à possibilidade de uma intervenção milagrosa. Nesses casos, os deuses devem achar um modo de entrar - à força, se necessário. Pois, como afirma o dito antigo: "Vocatus atque non vocatus, deus aderit." (Chamado e não chamado, Deus estará ali.)

Sallie Nichols- Jung e o tarô


20 de set de 2011

A visão Celestina...

20/09/2011
2+9+4=
6



Para hoje, vibramos o 6, que simbolicamente representa, assim como no selo de salomão a perfeita criação... Para aprendermos a nos desligar dos dramas de controle e nos conectarmos mais e mais com nossa essência, com a energia da fonte aqui está um excelente texto de A visão Celestina, de James Redfiel... 


UMA SENSAÇÃO DE SEGURANÇA, ETERNIDADE E AMOR

Já discutimos as importantes descobertas de místicos e psicólogos, a saber: os seres humanos costumam viver inseguros e ansiosos no mundo, apartados da fonte interior do seu ser. A vida encarada com total consciência existencial costuma ser assustadora e funesta, com a morte sempre à nossa espreita. Como já vimos, historicamente a humanidade tem lidado com essa ansiedade de duas maneiras. Uma delas é termos nos tornado inconscientes e empurrado para bem longe a realidade da nossa insegurança criando uma cultura rica, com muitas atividades, diversões e heróis mitológicos. Por isso a era moderna, por exemplo, mergulhou nas preocupações mundanas, materiais, afastando tudo que nos lembra os mistérios da existência.
Em nível pessoal, procuramos resolver essa insegurança com a tentativa de dominar outros seres humanos, seja passiva ou ativamente, recebendo assim da outra pessoa aquilo que agora sabemos ser energia espiritual, que nos faz sentir temporariamente mais realizados e mais seguros. Para obter essa energia, a maioria de nós usa os dramas de controle mais comuns. No entanto, devemos lembrar que esses dramas funcionam porque estamos com carência de energia, apartados da fonte.
É essa insegurança existencial que a abertura mística interior resolve. Portanto, uma medida desse estado de ser é uma sensação estimulante de segurança e euforia. À medida que nos abrimos para a energia divina dentro de nós, experimentamos a constatação de que a vida é eterna e espiritual. Isso advém da percepção de que somos pessoalmente parte da grande ordem do universo. Não apenas somos eternos, mas somos protegidos, incluídos no grande plano que é a vida na Terra e até mesmo importantes para esse plano. E se prestarmos bastante atenção na sensação de segurança e bem-estar que flui para dentro de nós, veremos que nos sentimos seguros porque estamos plenos de uma forte emoção que afasta todas as outras: estamos imbuídos de uma grande sensação de amor. 
Naturalmente, o amor é a medida mais conhecida de transcendência interior. No entanto, trata-se de um amor diferente do amor humano a que estamos acostumados. Todos nós já sentimos uma espécie de amor que exige um objeto: a mãe, a esposa, um filho, um amigo; porém o amor que é uma característica da abertura transcendental é de outra espécie, é um amor que existe sem um objeto intencional, e se torna uma constante que tudo impregna e que mantém nossas outras emoções em perspectiva.

Eu vivo na segurança e no amor!!!

19 de set de 2011

Eu quero isso...

19/09/2011
1+9+4=
14/5



Ir da personalidade ao Eu superior...
Acredito que estamos vivendo intensamente este processo...
Eu particularmente descobri que eu tenho medo mesmo é da expansão, por consequência da alegria, do bem estar, que são estados de quem está com sua energia expandida.
Ontem estava conversando com um amigo virtual, acho que posso chamá-lo desta maneira, e ele me falava de seu trabalho na área de Filosofia e da nova visão de mundo que é a visão sistêmica, integrada.
A visão do eu superior não fraciona as coisas... não  tenta tirar vantagem, porque sabe que como estamos todos interligados é o mesmo que tentar tirar vantagem de si mesmo...
Não usa as pessoas de degraus para atingir seus objetivos, é livre e deixa o outro livre...
Estamos nos tornando mais conscientes do caminho... desta forma, também mais responsáveis por ele e pelas escolhas que fazemos...
Fazer com que nossa personalidade tome consciência de nosso Eu Superior... Desta forma, saberemos como manifestar em liberdade o quem somos na Terra...
Eu quero Isso!!!

18 de set de 2011

Questionar...

18/09/2011
9+9+4=
22





Interessante, me deparei com esta história pela segunda vez em um curto espaço de tempo, quero compartilhar com vocês:

A esposa estava preparando um jantar especial para o marido e resolveu fazer uma antiga receita de família. Quando o marido chegou em casa perguntou para a esposa o porque dela ter cortado o rabo do peixe, ao que ela respondeu:
___ Ora, porque minha mãe fazia assim.
O marido, não estando satisfeito com a resposta e resolveu indagar a sogra a respeito do preparo do peixe:
___ Minha sogra, gostaria de saber o porque ao preparar a receita do peixe você e minha esposa cortam o rabo.
Ao que a sogra respondeu:
___ Ora, porque minha mãe fazia assim. Este é o segredo de nossa receita de família, o que deixa o peixe tão saboroso.
Intrigado, o marido resolveu ir ter com a avó de sua esposa para obter a resposta do porque cortar a cauda do peixe. Não conseguia entender o porque este era o segredo do seu preparo, passado de geração para geração. Chegando lá, foi logo perguntando:
___Porque a senhora corta a cauda do peixe para prepará-lo?
Ao que a avó respondeu:
___ Ora, porque minha assadeira é pequena.



Quanto temos reproduzido desta história em nossas vidas? Ao seguir a receita de nossos antepassados sem nos questionar do porque as coisas eram feitas do jeito que eram!!! Os números mestres de forma geral, nos colocam em contato com as energias que farão de nós mestres de nossas vidas, e desta maneira, podemos vibrar isto para quem desejar seguir o caminho da auto responsabilidade... Até quando cortaremos o rabo do peixe? Meus queridos amigos: Nossa assadeira é infinitamente grande!!!!
Namastê

17 de set de 2011


Sonho Meu

José Augusto

Eu posso ir onde eu quiser
Rabiscos em algum papel
Chegar bem perto das estrelas e tocar no céu
Sonhando eu posso ser um rei
Quem sabe até superstar
É só deixar a porta aberta pra ilusão entrar
Eu posso até falar com Deus
De noite em minha oração
E caminhar por entre nuvens feitas de algodão
Eu posso tudo que eu quiser
É só querer acreditar
Se eu fechar bem forte os olhos e quiser sonhar
Sonho meu
Sonho meu
Tudo pode acontecer
É só acreditar na vida, acreditar na sorte e tudo pode ser
Sonho meu
Sonho meu
Eu posso tudo que eu sonhar
Se eu levar a vida a sério e fizer direito, se eu acreditar
Eu posso até falar com Deus
De noite em minha oração
E caminhar por entre nuvens feitas de algodão
Posso tudo que eu quiser
É só querer acreditar
Se eu fechar bem forte os olhos e quiser sonhar
Sonho meu
Sonho meu
Tudo pode acontecer
É só acreditar na vida, acreditar na sorte e tudo pode ser
Sonho meu
Sonho meu
Eu posso tudo que eu sonhar
Se eu levar a vida a sério, se eu fizer direito e se eu acreditar
Sonho meu
Sonho meu
Tudo pode acontecer
É só acreditar na vida, acreditar na sorte e tudo pode ser
Sonho meu
Sonho meu
Eu posso tudo que eu sonhar
Se eu levar a vida a sério, se eu fizer direito se eu acreditar
Sonho meu
Sonho meu
Tudo pode acontecer....

Sonhos... por que não realidade???!!!

17/09/2011
8+9+4=
17+4=
3





Sonhos...
Projetos escritos de algo que se materializará...
Não tema seus sonhos...
Dê abertura e chance para que se concretizem...
Nós merecemos...
Merecemos ser felizes...
Merecemos mimos do Universo...
Merecemos gás para continuar a jornada com disposição...
Eu desejo para hoje que todos os nossos sonhos principalmente aqueles que achamos impossíveis e que ficam guardados lá no fundo do nosso íntimo se realizem....
Que esse espaço de festa, de comunhão e celebração possa se abrir para cada um de nós...  
Amém...

16 de set de 2011

Ressurreição...

16/09/2011
7+9+4=
20





                                                           23. Julgamento: Uma Vocação
            "Eis que vos digo um mistério: Nem todos dormiremos, mas transformados seremos todos, num momento, num abrir e fechar de olhos, ao ressoar da última trombeta. A trombeta soará, os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados. Porque é necessário que este corpo corruptível se revista da incorruptibilidade, e que o corpo mortal se revista da imortalidade.
                                                                                                                                                    I Coríntios
            Na carta número vinte, um grande anjo com uma trombeta de ouro aparece no céu, trazendo uma bandeira brasonada com uma cruz de ouro. Debaixo dele estão três figuras humanas nuas, uma das quais se ergue do túmulo (Fig. 81). O título desta carta, Julgamento, liga-a à narrativa bíblica do Juízo Final quando, ao ressoar da trombeta de Miguel, os justos serão chamados à vida celestial, ao passo que os maus serão lançados para todo o sempre no inferno. O ponto importante dessa ressurreição não é, evidentemente, os justos serem recompensados com a imortalidade em algum lugar do céu, senão serem redespertados para uma vida nova e "celestial" na Terra. Psicologicamente, serão agora chamados a ingressar numa nova dimensão de percepção, até então desconhecida.
            O Julgamento dramatiza o momento de ressurreição espiritual de diversas maneiras. Aqui, pela primeira vez, uma figura humana (a que está saindo do túmulo) se vê diante da fonte de iluminação. Não foi este o caso em O Enamorado, A Torre da Destruição, A Estrela, A Lua ou O Sol, onde a atividade no reino arquetípico ocorreu acima e atrás das figuras terrenas, que lhe sentiram os efeitos, mas apenas indiretamente, por intermédio do inconsciente. No Julgamento, a figura central percebe conscientemente e ouve o chamado. A imediação dessa conexão é enfatizada pelo tamanho do anjo, pelos raios compridos e pontudos da sua auréola, que quase parecem furar o chão, e pela sua enorme trombeta, cujo som promete estilhaçar os tímpanos dos que estão embaixo."
Sallie Nichols em Yong e o Tarô.


Hoje quero despertar, ao som da música divina, que é minha música...
Eu sou parte dela e ela parte de mim...
Para além da ilusão...
Estou entre aqueles que atendem ao chamado!!!

15 de set de 2011

Auto-centrar....

15/09/2011
6+9+4=
19=
1






Auto- centrar....
Se olhar...
Se observar...
Cuidar da preservação de quem eu sou...
Os limites são colocados a partir de quem eu sou...
Se não estou auto-centrado que limites darei aos outros?
Até aonde as pessoas podem ir comigo sem ferir quem eu sou?
Analise como age...
Você ainda consegue ter algum espaço? Tem pouco ou acaba com o espaço alheio?
Para hoje desejo me auto centrar, ou como gosto de dizer " incorporar em mim mesmo"....

14 de set de 2011

O segredo de Shambala...

14/09/2011
5+9+4=
9




Engraçada a questão da energia... desenvolvemos um artifício para não ficarmos sem ela, repleto de disputas e roubos...
Muitos falam de proteção, não deixar que nos roubem energia e desta forma o que conseguimos é uma baita indigestão... 
Isso mesmo... 
Porque ao bloquear minha energia em mim mesmo eu paro todos os processos que estão em andamento em meu corpo e o da digestão é um deles.  
Mas qual seria a solução? 
Me lembro de que a Pat leu para mim alguns trechos do livro  O segredo de Shambala de James Redfield, e um deles fala exatamente a respeito disto. 
Para quem já leu Profecia Celestina do mesmo autor, sabe que para aumentar nossa energia devemos nos conectar com a beleza... Pode ser uma árvore, uma flor, o semblante de uma criança, enfim... A energia que captamos aumenta. 
E a partir daí? 
Guardamos tudo para nós mesmos com medo de que vá faltar? É claro que não, a menos que você deseje uma sobrecarga... rsrs... 
Devemos deixar que  a energia flua, captando em conexão com a fonte de energia infinita e expandindo para o meio... Acredito que esta é uma bela lição do 9 de hoje... O 9 sabe se manter no fluxo do dar e receber... Desta forma, para que as pessoas ao nosso redor irão lançar mão de artifícios para nos roubar energia se a estamos emitindo para tudo o que nos cerca o tempo todo?
Hoje me conecto  com a beleza, recebo abundantemente a energia de Deus, e ela flui por mim para tudo e todos que me cercam...
Amém... 

13 de set de 2011

Equilíbrio...

13/09/2011
4+9+4=
8



Como equilibra r nossa energia? Nos libertando dos dramas de controle... aqui está um trecho do Livro a visão Celestina de James Redfiel...
Download do livro!!!


SUPERANDO
A DISPUTA DE PODER

A GRANDE CONQUISTA dos psicólogos da interação foi identificar e explicar a
tendência dos seres humanos a competir entre si e a dominar uns aos outros por causa de uma
profunda angústia existencial. Veio do Oriente, no entanto, um esclarecimento maior sobre o
processo psicológico subjacente a esse fenômeno.
Como tanto a ciência quanto o misticismo demonstram, o ser humano é, em essência,
um campo de energia. No entanto, a sabedoria oriental afirma que o nosso nível normal de
energia é baixo e fraco, e assim permanecerá até nos abrirmos às energias absolutas
disponíveis no universo. Quando isso ocorre, o ch'i — que talvez devêssemos chamar de
nosso nível de energia quântica — eleva-se o suficiente para sanar nossa angústia existencial.
Mas até então vivemos procurando extrair das outras pessoas energia adicional.
Vamos começar esse estudo examinando aquilo que realmente acontece quando dois
seres humanos interagem. Existe um velho provérbio místico que diz que aonde vai a atenção,
para lá flui a energia. Assim, quando duas pessoas voltam a atenção uma para a outra, elas
literalmente fundem seus campos energéticos, juntando as energias. Aí surge logo a questão:
quem é que vai controlar essa energia acumulada? Se um dos dois consegue dominar, fazendo
o outro aceitar seu ponto de vista — enxergar o mundo à sua maneira, através dos seus olhos
—, então esse indivíduo capturou para si a energia de ambos. Ele sente uma imediata onda de
poder, segurança, autovalorização e até mesmo euforia.
Mas esses sentimentos positivos são conseguidos às custas da outra pessoa, que,
dominada, sente-se fora do centro, ansiosa e desprovida de energia42 — todos nós já nos
sentimos assim alguma vez. Quando somos forçados a ceder a alguém que nos manipulou até
nos confundir, nos tirar do equilíbrio, nos expor, de repente nos sentimos exaustos. E a
tendência natural é tentar tomar de volta a energia do nosso dominador, usando em geral de
qualquer meio necessário.
Esse processo de dominação psicológica pode ser observado em toda parte, e é a fonte
oculta de todos os conflitos irracionais no mundo humano, em nível de indivíduos e famílias

até todas as culturas e nações. Assim, olhando realisticamente para a sociedade, veremos um
mundo que compete pela energia, com pessoas manipulando umas às outras de maneiras
muito engenhosas (e em geral bastante inconscientes). À luz da nova compreensão do
universo, podemos ver também que a maioria das manipulações usadas — a maioria dos jogos
que as pessoas jogam — resulta das teorias básicas de cada um. Em outras palavras: são elas
que formam o campo de intenção do indivíduo.
Quando entramos em interação com outro ser humano, precisamos ter isso tudo em
mente. Cada pessoa é um campo de energia consistindo num conjunto de teorias e crenças,
que se irradiam e influenciam o mundo. Isso inclui as crenças sobre aquilo que um indivíduo
pensa dos outros, e como sair vitorioso na conversa.
Todo mundo tem um conjunto único de teorias e estilo de interação, que chamo de
"dramas de controle". Acredito que esses "dramas" seguem um continuum que vai de muito
passivo a muito agressivo.

O COITADO DE MIM

O mais passivo dos dramas de controle é a estratégia da vítima, ou o que chamo de
Coitado de Mim. Nesse drama, a pessoa, em vez de competir diretamente pela energia,
procura ganhar atenção e deferência manipulando o sentimento de solidariedade.
Sempre podemos perceber quando entramos no campo de energia de um Coitado de
Mim, porque somos imediatamente atraídos para um tipo de diálogo que nos tira do nosso
centro de equilíbrio. Começamos a nos sentir culpados sem motivo algum, como se
estivéssemos sendo colocados nesse papel pela outra pessoa. Ela tanto pode dizer: "Bem,
ontem esperei o seu telefonema e você não telefonou", como "Tanta coisa horrível me
aconteceu e você tinha desaparecido". Pode até mesmo acrescentar: "Todas as outras coisas
ruins que vão me acontecer e você provavelmente não estará por perto também."
Essas frases podem ser adaptadas para uma ampla gama de assuntos, dependendo do
tipo de relacionamento que temos com a pessoa. Se for um colega de trabalho, o conteúdo
pode se referir à sobrecarga de trabalho que ele está suportando porque você não está
ajudando; se se tratar de um mero conhecido, ele pode simplesmente começar a falar sobre
ávida ruim que leva. Existem dezenas de variações, mas o tom e a estratégia básica são os
mesmos — sempre um apelo à solidariedade e a afirmação de que de alguma forma você é
responsável.
A estratégia óbvia no drama do Coitado de Mim é nos desequilibrar e ganhar a nossa
energia, criando em nós um sentimento de culpa ou dúvida. Ao assumirmos essa culpa,
passamos a enxergar o mundo da outra pessoa através dos olhos dela, e de imediato ela sente
a onda da nossa energia acrescentada à sua, e assim passa a se sentir mais segura.
Lembre-se que esse drama é quase totalmente inconsciente. Ele nasce de uma visão
pessoal do mundo e de uma estratégia para controlar os outros adotadas no início da infância.
Para o Coitado de Mim, o mundo é um lugar onde não se pode contar com as pessoas para
satisfazer suas necessidades de nutrição e bem-estar, e um lugar assustador demais para
arriscar-se a perseguir essas necessidades direta ou positivamente. No mundo do Coitado de
Mim, a única maneira de agir razoável é pedir simpatia através da culpa e de rejeições
denunciadas.
Infelizmente, por causa do efeito que essas crenças e intenções inconscientes têm sobre
o mundo, muitas vezes o mesmo tipo de pessoas que o Coitado de Mim teme são exatamente
aquelas que ele permite que entrem em sua vida. E os acontecimentos muitas vezes são
traumatizantes. A resposta do universo é produzir exatamente o tipo de mundo que a pessoa
espera, e desse modo o drama é um círculo vicioso e sempre acaba se justificando. Embora
não se dê conta disso, o Coitado de Mim está preso numa armadilha sem saída.

LIDANDO COMO COITADO DE MIM

Ao lidar com o Coitado de Mim, é importante nos lembrarmos de que o propósito do
drama é adquirir energia. Temos que começar com a disposição de conscientemente doar
energia ao Coitado de Mim enquanto conversamos com ele; esta é a maneira mais rápida de
interromper o drama. (Enviar energia é um processo exato, que estudaremos no Capítulo 9.)
Em seguida, devemos avaliar se a culpa é justificada ou não. Certamente haverá em
nossa vida muitas ocasiões em que devemos nos preocupar por termos decepcionado alguém,
ou nos solidarizar com uma pessoa em situação difícil. Mas essa necessidade deve ser
determinada por nós, não por outrem; só nós podemos decidir quando e até que ponto temos a
responsabilidade de ajudar alguém.
Uma vez que tenhamos doado energia para o Coitado de Mim e determinado que
estamos presenciando um drama em ação, o próximo passo é dar nome aos bois — isto é,
fazer do próprio drama de controle o objeto da conversa.43 Ninguém consegue sustentar um
drama inconsciente se ele for alçado à consciência e colocado em discussão. Isso pode ser
feito com uma afirmação como: "Sabe, neste momento estou com a impressão de que você
acha que eu deveria me sentir culpado."
Aqui devemos estar preparados para proceder com coragem, porque apesar de estarmos
apenas procurando lidar honestamente com a situação, a outra pessoa pode interpretar isso
como rejeição. Nesse caso, a reação típica é: "É, eu sabia que você não gostava de mim." Em
outros casos, a pessoa pode se sentir ofendida e zangada.
Na minha opinião, é muito importante apelar para a pessoa para que escute e dê
prosseguimento ao diálogo. Mas isso só poderá dar certo se durante toda a conversa
estivermos constantemente doando à pessoa a energia de que ela precisa. Acima de tudo,
temos que perseverar, se desejamos melhorar a qualidade do relacionamento. Na melhor das
hipóteses, a pessoa vai nos escutar quando expusermos o seu drama, e vai conseguir abrir-se
para um grau maior de autoconsciência.


O DISTANTE

Um drama de controle um pouco menos passivo é o do Distante. Quando começamos
uma conversa e de repente percebemos que não estamos conseguindo obter uma resposta
direta, constatamos que penetramos no campo energético de alguém que está usando esta
estratégia. A pessoa com quem estamos conversando se mostra distante, desligada, misteriosa
em suas respostas. Se lhe perguntamos sobre o seu passado, por exemplo, a resposta é um
resumo vago, tal como: "Andei viajando por aí", sem mais especificações.
Durante essa conversa, sentimos que temos que fazer uma pergunta suplementar,
mesmo que se trate de um assunto bem simples. Teremos que dizer, talvez: "Viajando por
onde?", e recebemos a resposta: "Por muitos lugares."
Aí podemos discernir claramente a estratégia do Distante: criar constantemente em
torno de si uma aura de vaguidão e mistério, forçando-nos a gastar muita energia garimpando
informações que normalmente deveriam ser fornecidas de maneira casual. Quando fazemos
isso, estamos intensamente concentrados no mundo da pessoa, olhando através dos olhos dela,
esperando compreendê-la melhor, e assim estamos lhe dando a carga de energia que ela
busca.
Temos que nos lembrar, no entanto, de que nem todo mundo que se mostra vago ou se
recusa a nos dar informações sobre si mesmo está utilizando o drama do Distante; a pessoa
pode simplesmente desejar permanecer anônima por um motivo qualquer. Toda pessoa tem o
direito à privacidade e a revelar aos outros apenas aquilo que desejar.
Entretanto, utilizar essa estratégia de distanciamento para adquirir energia é algo muito
diferente. Para o Distante, trata-se de um método de manipulação que procura nos atrair, no
entanto nos mantém à distância. Se concluirmos que a pessoa simplesmente não deseja
conversar conosco, por exemplo — e assim passamos a prestar atenção em outra coisa —
muitas vezes o Distante voltará a interagir conosco, dizendo alguma coisa destinada a nos
atrair de volta à interação, para que a energia possa continuar fluindo em sua direção.
Como no caso do Coitado de Mim, essa estratégia vem de situações passadas. Em geral
o Distante não conseguia comunicar-se livremente quando criança, pelo fato de isso ser
ameaçador ou perigoso. Nesse ambiente, o Distante aprendeu a ser constantemente vago ao se
comunicar com os outros e, ao mesmo tempo, encontra um modo de ser ouvido, para adquirir
energia dos outros.
Como no caso do Coitado de Mim, a estratégia do Distante é baseada num conjunto de
teorias inconscientes a respeito do mundo. O Distante acredita que o mundo está cheio de
pessoas a quem não se podem confiar informações pessoais; ele julga que a informação será
usada contra ele mais tarde, ou servirá de base para críticas. E, como sempre, essas teorias
irradiam-se do Distante e vão influenciar os tipos de acontecimentos que advirão, cumprindo
a sua intenção inconsciente.


LIDANDO COM O DISTANTE

Para lidar de maneira eficaz com alguém que esteja usando o drama do Distante, temos
que nos lembrar de começar por enviar energia; enviando uma energia de amor em vez de nos
tornarmos defensivos, aliviamos a pressão que faz com que a manipulação continue. Sem essa
pressão, podemos começar de novo, dando nome aos bois e fazendo do drama o assunto da
conversa, para trazê-lo à consciência da outra pessoa.
Como no caso anterior, podemos esperar uma entre duas reações. A primeira: o Distante
pode fugir à conversa e cortar toda a comunicação. Naturalmente, isso é sempre um risco que
deve ser corrido, porque dizer qualquer outra coisa seria continuar a fazer o jogo. Nesse caso,
só podemos desejar que a nossa maneira direta de agir inicie um novo padrão que levará à
autoconsciência.
A outra reação do Distante pode ser continuar a conversa, mas negar estar usando o
drama de controle do Distante. Nesse caso, como sempre, ternos que ponderar a verdade do
que a pessoa está dizendo. No entanto, se tivermos certeza da nossa percepção, temos que nos
manter firmes e continuar a dialogar com a pessoa. Esperamos que da conversa se estabeleça
um novo padrão.

O INTERROGADOR

Um drama de controle mais agressivo, que hoje permeia toda a sociedade moderna, é o
do Interrogador. Nessa estratégia de manipulação, a pessoa usa a crítica para adquirir energia
dos outros.
Na presença de um Interrogador sempre temos a impressão distinta de que estamos
sendo fiscalizados. Ao mesmo tempo, temos a sensação de que nos coube desempenhar o
papel de uma pessoa inapta ou incapaz de cuidar da própria vida.
Temos essa sensação porque o indivíduo com quem estamos interagindo nos puxou para
uma realidade onde ele sente que a maioria das pessoas está cometendo erros enormes na
vida, e que cabe a ele corrigir essa situação. O Interrogador pode dizer, por exemplo: "Sabe,
você não se veste de maneira adequada para o seu tipo de trabalho", ou "Já percebi que você
não limpa muito bem a sua casa". Com a mesma facilidade, a crítica poderia visar o nosso
desempenho profissional, o modo como falamos ou uma ampla gama de características
pessoais. Não faz diferença — qualquer coisa funcionará, contanto que a crítica nos
desequilibre e nos deixe inseguros.
A estratégia inconsciente do Interrogador é apontar alguma coisa sobre nós que nos
desequilibre, na esperança de nos convencer da verdade dessa crítica para que adotemos a sua
visão do mundo. Quando isso ocorre, começamos a enxergar a situação pelos olhos do
Interrogador, e assim lhe passamos energia. A intenção do Interrogador é ser o juiz da vida
das outras pessoas, de modo que, logo que o diálogo tem início, os outros imediatamente
aceitem sua visão do mundo, fornecendo-lhe um fluxo regular de energia.
Assim como os outros dramas, este surge de teorias projetadas. O Interrogador acredita

que o mundo só será seguro ou organizado se ele estiver vigiando o comportamento e a
atitude de todas as pessoas, e fazendo correções. Nesse mundo ele é o herói, o único que
presta atenção e se encarrega de providenciar para que as coisas sejam feitas com cuidado e
perfeição. Geralmente o Interrogador vem de uma família onde as figuras do pai e da mãe
eram distantes ou não cuidavam das necessidades dele; na insegurança desse vazio energético,
o Interrogador captava atenção e energia da única maneira possível: apontando erros e
criticando o comportamento da família.
Quando a criança cresce, carrega consigo essas teorias a respeito de como é o mundo e
como são as pessoas, e essas teorias por sua vez criam esse tipo de realidade na vida do
Interrogador.

LIDANDO COM O INTERROGADOR

Lidar com o Interrogador é uma questão de manter-se suficientemente centrado para lhe
fazer ver como estamos nos sentindo em sua presença. Também aqui o segredo é não assumir
uma postura defensiva, e enviar energia de amor, enquanto explicamos que ele nos faz sentir
vigiados e criticados.
Também o Interrogador poderá ter várias reações diferentes. Primeiro, pode negar ter o
hábito de criticar, mesmo diante de exemplos. Mais uma vez, precisamos considerar a
possibilidade de estarmos equivocados, ouvindo críticas onde elas não existiram. Se, por outro
lado, temos certeza dessa percepção, então podemos apenas expressar a nossa posição,
esperando que possa surgir um diálogo verdadeiro.
Outra reação que o Interrogador poderá ter é virar a mesa e nos acusar de
excessivamente críticos; se isso acontecer, precisamos avaliar se essa acusação é verdadeira.
No entanto, se temos certeza de que isso não é verdade, devemos voltar a conversar sobre a
sensação que experimentamos na sua presença.
Uma terceira reação que o Interrogador poderá ter é questionar se as críticas são válidas
e precisam ser feitas, e nos acusar de estarmos evitando olhar para os nossos próprios defeitos.
Mais uma vez, temos que ponderar a verdade dessa afirmação, mas, se tivermos a certeza da
nossa posição, poderemos citar vários exemplos de que as críticas do Interrogador foram
desnecessárias ou feitas de maneira errada.
Todos nós enfrentamos situações em que sentimos que os outros estão fazendo alguma
coisa que não parece ser em seu benefício. Podemos sentir que devíamos intervir e apontar o
erro; o essencial é o modo como intervimos. Acho que devemos procurar fazer afirmações
neutras, tais como: "Se os meus pneus estivessem carecas assim, eu compraria novos", ou:
"Quando estive nessa situação, larguei o emprego antes de arranjar outro e me arrependi".
Há maneiras de intervir que não arrancam a pessoa de seu ponto de vista, nem minam a
sua confiança como faz o Interrogador, e essa diferença lhe deve ser explicada. Também aqui,
pode ser que a pessoa rompa o relacionamento em vez de escutar o que estamos dizendo, mas
este é um risco que temos que correr para sermos fiéis à nossa experiência.

O INTIMIDADOR

O drama de controle mais agressivo é a estratégia do Intimidador. Podemos perceber
que entramos no campo energético de tal pessoa
porque não apenas nos sentimos exaustos ou constrangidos; sentimo-nos ameaçados,
talvez até mesmo em perigo. O mundo se torna sinistro, ameaçador, descontrolado. A pessoa
que utiliza essa estratégia dirá e fará coisas que sugerem que, a qualquer momento, ela poderá
explodir de raiva ou tornar-se violenta. Ela pode narrar casos em que feriu outras pessoas, ou
demonstrar a extensão da sua raiva quebrando móveis ou arremessando coisas.
A estratégia da pessoa intimidadora é ganhar a nossa atenção e assim a nossa energia,
criando um ambiente em que nos sentimos tão ameaçados, que lhe damos toda a nossa
atenção: quando alguém nos dá a impressão de que pode perder o controle ou fazer algo
perigoso, nós fazemos questão de observá-la atentamente. Se estamos conversando com uma
pessoa assim, geralmente evitamos discutir o ponto de vista dela. Naturalmente, quando
olhamos nos olhos dela, tentando discernir (para a nossa própria segurança) o que ela poderá
fazer, ela recebe a carga de energia de que necessita tão desesperadamente.
Esta estratégia de intimidação geralmente tem origem num passado de severa carência
energética, mais comumente envolvendo relacionamentos com outros Intimidadores que são
dominadores e abusados, e onde nenhuma outra estratégia para recuperar a energia iria
funcionar. Não adiantaria prender as pessoas na armadilha do Coitado de Mim — ninguém se
importa. Certamente tampouco vão perceber se a pessoa estiver bancando o Distante. E
qualquer tentativa de ser um Interrogador é recebida com raiva e hostilidade. A única solução
é suportar a falta de energia até ser suficientemente grande para que a pessoa seja, por sua
vez, um Intimidador.
O mundo que o Intimidador enxerga é um mundo de violência e hostilidade; um mundo
no qual cada pessoa está perdida num supremo isolamento, onde todos rejeitam e ninguém se
importa — e é exatamente isso que essas teorias trazem para a vida do Intimidador.

LIDANDO COM O INTIMIDADOR

O confronto com o Intimidador é um caso à parte. Por causa do perigo, na maioria dos
casos, é melhor simplesmente manter distância. Se existe um longo relacionamento com o
Intimidador, em geral o melhor a fazer é colocar a situação nas mãos de um profissional. O
plano de ação terapêutico, naturalmente, é bem parecido com os dos outros dramas. O sucesso
com esse tipo de pessoa exige que lhe seja dada a sensação de segurança; é preciso transmitirlhe
energia de apoio e fazer com que tome consciência da realidade do seu drama.
Infelizmente há muitos Intimidadores por aí que não recebem ajuda e vivem em estados
alternados de medo e raiva.
Muitas dessas pessoas terminam às voltas com a Justiça, e certamente é sensato mantêlas
fora da sociedade. Mas um sistema que as mantém presas sem qualquer intervenção
terapêutica e depois torna a libertá-las não compreende nem alcança a raiz do problema.44

SUPERANDO O NOSSO DRAMA DE CONTROLE

Todos nós escutamos, ao longo da vida, queixas dos outros a respeito dos nossos
padrões de comportamento. A tendência humana é ignorar ou racionalizar essas queixas para
poder prosseguir com o estilo de vida escolhido. Mesmo hoje, que o conhecimento dos
hábitos e roteiros autodestrutivos está se tornando uma parte maior da consciência humana,
achamos muito difícil enxergar o nosso comportamento pessoal de maneira objetiva.
No caso de dramas de controle graves em que a pessoa tenha procurado ajuda
profissional, as reações de crise podem desfazer anos de progresso e crescimento na terapia
quando os velhos padrões, que se julgavam superados, reaparecem. Aliás, uma das mais
recentes revelações entre os terapeutas profissionais é que o verdadeiro progresso exige mais
do que a catarse que ocorre durante a exploração pessoal dos traumas da primeira infância.45
Agora sabemos que para acabar com essas tentativas inconscientes de adquirir energia e
segurança precisamos nos concentrar na base existencial — mais profunda — do problema, e
enxergar além da visão intelectual para ganhar acesso a uma nova fonte de segurança, que
poderá funcionar independentemente das circunstâncias externas.
Estou me referindo aqui a um tipo diferente de catarse — aquele que ao longo da
História os místicos apontam, e do qual cada vez mais ouvimos falar. Sabendo o que sabemos
sobre as disputas de energia na sociedade humana, o nosso desafio é nos examinarmos
atentamente, para que possamos identificar o nosso conjunto particular de teorias e as
intenções que constituem o nosso drama, e encontrar outra experiência que nos permita a
abertura para a nossa energia interior.

12 de set de 2011

Melodia...

12/09/2011
3+9+4=
16/7




Puxa, como esta vibração tem estado presente!!!
Acho que chegou a hora de nos assumir perante o mundo!!! Mas para que isto seja possível, antes eu preciso saber quem sou...
Esta resposta, é muito simples, mas de uma profundidade imensa... somente você pode cantar sua canção... quando você a canta em voz alta, outros, como os amigos, podem aprender a cantá-la... para que nos momentos em que você se esqueça você possa ouvi-la!!! E para que saibam as nuances de sua alma!!!
Mas é uma composição sua!!!

11 de set de 2011

Quero Ser de verdade neste mundo!!!!

11/9/2011
11+13




                                            
Senti a necessidade de não reduzir o treze....
11 ultrapassar limites, se tornar um mestre de si mesmo, isto quer dizer se tornar mais humano...
E como é contraditório... pois quando penso em mestre penso em alguém acima, mais espiritualizado... e realmente é... mais é diferente da imagem que eu tinha... pois estes são mais humanos... mais igual a mim e igual a você, ele está no mundo físico, ele se relaciona ... é uma pessoa que não precisa da máscara de ser melhor, mais perfeito e portanto inalcansável...
E o 13 é transformação...
O 4 é o mundo físico....
Portanto que hoje a transformação venha, que eu me torne mais humana, mais real e mais do mundo... que as máscaras que uso para me isolar sejam dissolvidas e eu consiga estar comigo, contigo e conosco...
Amém!!!!

10 de set de 2011

Liberdade e responsabilidade...

10/09/2011
1+9+4=
14/5



"O 14/ 5 é chamado número das experiências. O cinco é versatilidade, mudança e, acima de tudo, um enorme desejo de liberdade. O quatorze sugere o equilíbrio, a moderação e é representado pela Temperança (arcano XIV do tarô). Quem o tem, geralmente tenta ganhar a liberdade de maneira destrutiva, sem limites, ou através do uso de outras pessoas, o que pode gerar perdas ou doenças. A mensagem deste número é a necessidade de compreender as suas limitações. É preciso aprender a evitar os extremos e usar de equilíbrio."


Tenho pensado muito a respeito da honestidade, uma honestidade pautada em quem eu sou... 
Acredito que ser verdadeira comigo mesma abre um espaço de liberdade em meu ser... 
Porém, não consigo separar liberdade de responsabilidade... se posso agir a minha maneira, sou responsável por cada ação, cada palavra, cada movimento...
Acredito que o 14, ao nos lembrar a temperança, nos lembra também este fato... a liberdade traz responsabilidade... nos desviamos do equilíbrio quando ao buscar nossa liberdade nos esquecemos de nossa responsabilidade... 
Não gosto muito da palavra culpa, acredito que ela nos fecha em nos resultados de nossas ações... por isto costumo dizer que sou responsável por aquilo que escolhi, consciente ou inconscientemente... 
A responsabilidade abre a possibilidade de fazer diferente, de aprender e transformar quem sou, rumo ao que desejo ser...