É o grande problema interior, aquele de cada um e de todos. É o problema da alma, que descobre em si mesma um abismo de trevas e de luz, que se contempla com uma mistura de encantamento e de pavor e se diz: "Eu não sou deste mundo, pois ele não é suficiente para me explicar".
Os grandes Iniciados- Édouard Schuré

29 de fev de 2012

29/02/2012
11+7





Ultrapassar os limites do 7 conhecido...
Conexão entre o físico e o espiritual...
Agora os dois precisam ser manifestados juntos...
Para que alcancemos a nossa vitória...
Que a nossa vida vire um ritual de conexão e amor a nós mesmos, ao próximo...
Que eu me veja e consiga te ver....
E você também se veja e me veja...
Que o relacionamento se estabeleça...
Que o masculino e o feminino juntos floresçam na mais linda manifestação do amor...

28 de fev de 2012

Crescer...

28/02/2012
1+2+5=
8


Crescer... Muitas vezes negamos crescer e nos perdemos em birras intermináveis... Mas quando eu me disponho a crescer um mundo de possibilidades se descortina... bem em nossa frente... 
Crescer nos possibilita agregar informações, transformar outras e fazer delas uma síntese. 
Hoje quero fazer a ligação coesa das partes que me constituem. Dentro e fora... 
Quero estar aqui  e Agora... 
De forma dinâmica, com movimento. 
Porque para que eu esteja certa, aquele que fez uma outra escolha necessariamente tem que estar errado? Hoje abandono este tipo de julgamento. As mais variadas escolhas são válidas se trazem esta síntese, se fazem parte de quem eu sou ou mesmo do que quero vir a ser. 
Conectadas ao caminho, em conexão com Deus as experiências são válidas, cheias de movimento e vida... Que a razão e a intuição se abracem em mim e dancem...
Quero estar presente!!!

27 de fev de 2012

Aqui... e agora...

27/02/2012
9+2+5=
11+5



Aprender e evoluir utilizando os 5 sentidos de forma expansível e flexível...
Ultrapassar o sentir dos sentidos...
Para sentir...
Preciso estar presente...
Preciso de mim para interagir no mundo material...
Essa é a lição do 5...
O sentido de humanidade...
Deus como desejo estar aqui... e agora....

26 de fev de 2012

Sou grata...

26/02/2011
8+2+5=
6




"Viver é sagrado, estar vivo é sacro, cada momento é divino, assim não temos um plano “espiritual”, “superior”, e um plano "carnal", "material", "inferior", para nós estas são divisões falsas que falseiam o que tocam."
O texto veio daqui!!!

Hoje estava lendo a postagem cujo o trecho está acima que me fez refletir bastante. A dualidade nos pegou de tal maneira que pensamos o espiritual em termos de mundos acima e abaixo. Uma das partes continua sempre a ser negada. 
Elas se entrelaçam, mas não damos conta disto. Ou negamos o corpo, ou negamos nosso espírito. Abranger as múltiplas facetas de mim mesma e simplesmente viver tem sido uma meta. Onde esperamos ter uma vida plena se não somos capazes de realizá-la aqui e agora? Se tudo emanou de Deus, da Divindade porque negar a experiência de estar no corpo? 
Hoje vejo o corpo como uma benção. Ele me dá o tempo que eu preciso para aprender, vivenciar e experimentar coisas novas. Ele me permite focar uma realidade de cada vez. Se assim não fosse poderia me perder na possibilidades. É o passo que eu preciso para poder saltar no infinito sem que eu me desintegre. Sou grata por esta experiência. creio que é a primeira vez que manifesto isto desta maneira... 
Sou grata, sou grata, sou grata...

25 de fev de 2012

Clareza...

25/02/2012
7+2+5=
14/5




Responsabilidade...
Consciência...
Compreensão de mim e do outro...
Liberdade....
Quando eu estou presente consigo avaliar o que serve e o que não serve para minha vida...
As escolhas se apresentam...
Consigo fazer escolhas...
Escolhas que mostrem quem eu Sou para o Universo...
Escolhas que mostrem para mim quem Eu Sou e no que quero me transformar...
Escolhas que mostrem para você quem Eu Sou e o que me disponho a fazer...
Eu quero ser presente, consciente, 100% auto responsável, clara e livre....

O físico...

24/02/2012
6+2+5=
13


Transformação...
Chegar no físico...
Estar em contato com as realidade...
Estar na vida...
Chega de criar uma bolha protetora de ilusão e isolamento...
Quero estar comigo...
Quero estar contigo...
Quero fazer parte...
Quero muito viver....

23 de fev de 2012

Arriscar....

23/02/2012
5+2+5=
12
3




O fazer...
O sacerdote interno e externo unindo a dualidade...
O sacro ofício...
Arriscar-se voluntariamente...
Promover novas experiências...
Desafiar-se...
Eu desejo isso...
Quero alargar meus limites...
Quero promover as mudanças que quero...
Quero conscientemente...
Quero a presença de Deus no processo...
Quero a minha presença...
Quero ser curada....


22 de fev de 2012

Inteira...

22/02/2012
22+2+5=
22+7





Construir a união do céu com a terra... Manifestar isto...
Podemos no aqui e no agora...
Mais conexão, saber que posso, sou abençoada e consigo criar coisas que me deixem feliz...
Eu quero manifestar uma vida plena, eu quero seri inteira!!!

21 de fev de 2012

Ser...

21/02/2012
3+2+5=
1






Estamos nos descobrindo...
De uma forma ou de outra tentando existir...
Energia masculina +energia feminina juntos ativos formando seres andróginos livres da dualidade na presença de Deus...
Estamos indo para a 5 dimensão...
Eu desejo muito realizar isso...

20 de fev de 2012

Estou aqui...

20/02/2012
2+2+5=
9



Um mergulho dentro de si mesmo para encontrar seus próprios valores...
Hoje quero descobrir o que tem valor pra mim...
Quero descobrir meus dons e utilizá-los...
Quero ser eu mesma e sentir que esta tudo bem...
Quero conviver, sair do isolamento, me expressar...
É hora de arregaçar as mangas e me manifestar...
Encontrar as respostas...
sair do isolamento...
Estou disposta, estou AQUI!!!

19 de fev de 2012

19/02/2012
1+2+5=
8






EQUILÍBRIO - O ENSINAMENTO DE BUDA - por Osho

- Por Osho -

Um grande príncipe foi iniciado, tornou-se um sannyasin de Buda. Ele tinha vivido em grande luxo a vida toda, ele havia sido um grande tocador de sítara, seu nome era conhecido em todo o país como o de um grande músico. Mas ele ficou impressionado pela música interior de Buda – pode ser que o seu insight em música lhe tenha ajudado a entender Buda.

Quando Buda estava visitando a sua capital ele o ouviu pela primeira vez, se apaixonou à primeira vista e renunciou ao seu reino. Até mesmo Buda não queria que ele tomasse essa grande decisão tão impulsivamente. Ele lhe disse: “Espere, pense. Eu estarei aqui por quatro meses” – porque durante toda a estação das chuvas ele permanecia em um lugar. “Eu ficarei aqui, não há pressa. Pense sobre isso. Um período de quatro meses e então você pode tomar sannyas, você pode ser iniciado”.
Mas o jovem disse: “A decisão já aconteceu; não há nada mais a ser pensado. É agora ou nunca! E quem sabe sobre o amanhã? E você vem sempre dizendo, ‘viva no presente’, então, porque você está me dizendo para esperar por quatro meses? Eu posso morrer, você pode morrer, alguma coisa pode acontecer. Quem sabe sobre o futuro? Eu não quero esperar nem mesmo um único dia!”.

Sua insistência era tal que Buda teve que conceder; ele foi iniciado. Buda estava um pouco incerto sobre ele, se ele seria capaz de viver essa vida de mendigo. Buda tinha conhecido isso a partir de sua própria experiência; ele mesmo havia sido um grande príncipe uma vez. Ele sabia o que era viver em luxo, em conforto e o que era ser mendigo nas ruas. Era um fenômeno árduo, e Buda tinha levado um tempo. Ele levou seis anos para se tornar iluminado, e aos poucos ele havia se acostumado a ficar sem abrigo, às vezes sem comida, sem amigos, inimigos em toda a parte por nenhuma razão, porque ele não estava machucando ninguém. Mas as pessoas são tão estúpidas, elas vivem em tamanha mentira, que sempre que vêem um homem que sabe a verdade, elas se ferem a si mesmas – elas se sentem machucadas, insultadas

Buda sabia que a coisas toda seria demais para esse jovem. Ele sentiu pena dele, mas o iniciou. E ele ficou surpreso e todos os outros sannyasins ficaram surpresos, porque o homem simplesmente se moveu para o outro extremo. Todos os monges budistas costumavam comer somente uma vez por dia, aquele novo monge, o ex-príncipe, começou a comer somente uma vez em dois dias. Todos os monges budistas costumavam dormir debaixo de árvores; ele dormia debaixo do céu aberto. Os monges costumavam caminhar nas estradas, ele caminhava, não nas estradas, mas sempre dos lados onde havia espinhos, pedras. Ele era um belo homem; em poucos meses seu corpo ficou escuro. Ele era muito saudável; ficou doente, magro e franzino. Seus pés ficaram feridos.

Muitos sannyasins vieram a Buda e disseram: “Alguma coisa tem que ser feita. Aquele homem foi para o extremo oposto: ele está se torturando! Ele se tornou autodestrutivo”.

Buda foi a ele uma noite e lhe perguntou: “Shrona” – Shrona era o seu nome – “posso lhe fazer uma pergunta?”

Ele disse: “É claro meu Senhor. Você pode fazer qualquer pergunta. Eu sou seu discípulo. Eu estou aqui para lhe dizer tudo o que quiser saber sobre mim”.

Buda disse: “Eu ouvi dizer que quando você era príncipe, você era um grande músico e costumava tocar cítara”.

Ele disse: “Sim, mas isso está acabado. Eu me esqueci completamente disso. Mas é verdade, eu costumava tocar cítara. Esse era o meu hobby, meu único hobby. Eu costumava praticar pelo menos oito horas por dia e eu tinha ficado famoso em todo o país por isso”.

Buda disse: “Eu tenho que fazer uma pergunta. Se as cordas da sua sítara estiverem esticadas de demais, o que acontecerá?”.

Ele disse: “O que acontecerá? É simples! Você não poderá tocar – elas arrebentarão”.

Buda disse: “Uma outra pergunta: se elas estiverem frouxas demais o que acontecerá?”.

Shrona disse: “Isso também é simples. Se elas estiverem frouxas demais nenhuma música será produzida nelas porque não haverá tensão alguma”.

Buda disse: “Você é uma pessoa inteligente – eu não preciso dizer mais nada a você. Lembre-se: a vida também é um instrumento musical. Ela precisa de uma certa tensão, mas somente uma certa tensão. Menos que isso a sua vida será frouxa demais e não haverá música. Se a tensão for demais você começará a entrar em colapso, você começará a ficar louco. Lembre-se disso. Primeiro você viveu uma vida muito relaxada e você perdeu a música interna; agora você está vivendo uma vida muito rigorosa – você ainda está perdendo a música. Não existe uma maneira de se ajustar as cordas da cítara de tal forma que elas fiquem exatamente exata de tensão, para que a música possa surgir?”.

Ele disse: “Sim, existe uma maneira”.

Buda disse: “Esse é o meu ensinamento: esteja exatamente no meio, entre os dois pólos. A tensão não tem que desaparecer completamente, senão você estará morto; a tensão não tem que ser demasiada, senão você enlouquecerá”.


(Texto extraído do livro “Tao: O Portal Dourado” - Osho - Editora Shanti.)

18 de fev de 2012

Ser...

18/02/2012
9+2+5=
16/7




Fiquei pensando, onde unir o céu e a terra? E tive aquela sensação de revelação... eu posso unir o céu e a terra em mim. 
Quando a dualidade deixa pouco a pouco de ditar a minha visão das coisas as sincronias aparecem e a conexão acontece.
Quero viver esta conexão.
Talvez seja por isso que o feminino é tão temido. Ele é vida-morte-vida
Quero ser inteira, deixar de me debater de um pólo ao outro:
Paixão/Ódio
Medo/Coragem
Vamos lá fazer o que será...
Quero simplesmente SER!!!

17 de fev de 2012

Amor...

17/02/2012
8+2+5=
6



Crescer...
Relacionar-se...
Estar presente....
Ser livre das doenças egoicas...
Estar livre dos dramas de controle... (vítima - agressor)
Longe dos medos...
Amar...
Amar com Deus...
Amar comigo e eu mesmo...
Amar a ti e a tua presença...
Eu desejo muito crescer, estar presente, ter o Amor fluindo e ser livre para manifestar a minha vida....

16 de fev de 2012

Romper...

16/02/2012
7+2+5=
14/5


Mais do que saber romper é preciso saber como e quando romper. 
Carregar peso extra só porque não consegue se livrar do que não mais lhe serve dá tanto trabalho quanto abandonar as coisas antes que a lição se complete. 
E uma forma pra saber o que fazer é entrar no fluxo das sincronias.
Todas as pessoas que cruzam nosso caminho tem uma informação importante para nos dar. Contudo, quando estamos desconectados, sem energia, quando deixamos de ouvir nossa intuição, não conseguimos entender a informação.
Hoje quero entrar no fluxo da vida... seguir as sincronias... confiar... sou abençoada, tudo o que tenho que fazer é me manter conectada a mim e a Deus...
Eu quero viver esta conexão todo instante...

Medo...

15/02/2012
6+2+5=
13/4





Medos, preguiça, estagnação...
Dia de enfrentá-los...
Colocar a energia da morte para movimentar e deixar a vida transformar...
Vamos trabalhar minha gente com a gente mesmo...
Se descobrir...
Sair debaixo da cama para olhar esses monstros...
De frente com coragem...
Rs... e descobrir que é somente a sombra da luz do abajour no cabide de roupa...
Quanto tempo vivemos, ou não vivemos, pensando no horror de algo tão inofensivo....
Eu desejo enfrentar os meus medos de frente e recobrar meu poder pessoal...

14 de fev de 2012

Ser...

14/02/2012
5+2+5=
3



Encontrar o mestre interior ainda na dualidade do mundo traz a criatividade manifestada...
Abrir a possibilidade concreta de me manifestar no mundo...
Sempre ouvimos dizer que somos diferentes uns dos outros... contudo, fazemos um esforço enorme para nos adequar, padronizar, robotizar...
Quero viver a liberdade de ser quem eu sou...
Plantar minhas semente...
Que elas sejam frutíferas...
Quero dar o passo seguinte, tendo consciência do luga que ocupo...
Em conexão com Deus, com a Fonte e ser plena....

13 de fev de 2012

Livre...

13/02/2012
4+2+5=
11



Ultrapassar os limites...
Estar livre 5 para manifestar no físico 4 quem somos, nossa essência 2...



'O Medo adoece e emburrece, pois ele reprime suas emoções e sentimentos. Você se acoa e trava. A mente não funciona e você se torna um DEPENDENTE! Similar a um viciado.


Perceba no vídeo abaixo que tem uma cena do filme "Revolver" e que demonstra o Hemisfério Esquerdo do cérebro condicionado a não dar ouvidos ao Hemisfério Direito. Tudo precisa estar sob controle, ser controlável e previsível. Quando não há mais certezas, se perde o controle e a mente se desespera. O medo que nos é imputado pelo meio sistêmico em que vivemos, nos coloca nesses moldes sociais. Essa analogia com essas cenas desse filme, nos dá a dica de como fazer uma introspecção, uma reflexão e perceber que não há nada para ser controlado nem manipulado. Quem quer controle TEME! Quem manipula é com base no MEDO! A mente nos mente quando não se abre. Ela se fecha ao Hemisfério Esquerdo e nos prega peças, nos engana e nos ilude!

Ative a legenda no CC


"Há algo sobre você mesmo que você não sabe. Algo que você nega existir. Até ser tarde demais para fazer alguma coisa a respeito. É o único motivo pelo qual você levanta toda manhã. O único motivo pelo qual você aguenta o chefe intragável, o sangue, o suor e as lágrimas. É o porque você quer que as pessoas saibam o quanto você é bom, atraente, generoso, engraçado, maluco e inteligente. Tenha medo de mim ou me reverencie. Mas por favor, me considere especial. Compartilhamos um vício: a necessidade de aprovação. Todos nós queremos um tapinha nas costas e o relógio de ouro, o grito da torcida. Olha só o garoto inteligente com o brasão polindo o troféu. Continue brilhando diamante maluco! Afinal somos macacos de terno, implorando pela aprovação dos outros. Se soubéssemos disso, não faríamos isso tudo. Alguém está escondendo isto da gente e, se tivéssemos uma segunda chance, você perguntaria: por quê? O ego é o pior dos trapaceiros em que podemos pensar, em que podemos imaginar, porque você não o vê. O problema é que o ego se esconde no último lugar em que você procuraria: em si mesmo! Ele disfarça os pensamentos dele com os seus pensamentos e os sentimentos dele com os seus sentimentos. Você acha que é você. As necessidades das pessoas de proteger seus próprios egos não conhece limite. Elas mentem, roubam, enganam, matam, fazem o que for preciso para manter o que chamamos de fronteiras do ego. As pessoas não têm idéia de que estão numa prisão, não sabem que há um ego, não conhecem a diferença. Primeiro, é muito difícil para a mente aceitar que há algo além dela mesma. Algo mais valioso e mais capaz de discernir a verdade em si".

Despertar é ENTENDER que há um caminho ao meio, há um equilibrio que nos dá a chave para a verdadeira liberdade. Entender o medo nos faz capazes de transformá-lo em AMOR. Na cena do elevador, o personagem do filme percebeu e entendeu seu medo, e então em seguida "enxergou" que não havia nada a temer. Já o outro personagem pedia para ser temido, pois assim ainda permaneceria no poder e no controle. Quando não há temor, não há MEDO, e se não há medo, não há controle.'


este texto veio daqu    ihttp://pistasdocaminho.blogspot.com/search/label/Pistas

Casamento...

12/02/2012
5+5
1




Números interessantes esses...
1, 2 e 5... várias vezes...
O que será que Deus quer nos mostrar com isso?
A energia masculina e a feminina juntas... ativas...
Com liberdade e flexibilidade...
Entendimento...
Relacionamento...
Diálogo...
Vamos nos escutar, falar, ver, nos entender...
É o que eu desejo muito...

10 de fev de 2012

Intuição...

11/02/2012
11+7




Acionar os canais da racionalidade e os da intuição juntos....
Acordar o mestre interior da intuição... autoconhecer-se...
Ouvir...
Ouvir a si mesmo...
Escutar o que diz esse mestre interior...
Agir de acordo com ele...
Deixar o milagre da sincronicidade acontecer na vida...
Eu desejo dar mais ouvidos e agir de acordo com  minha intuição...

Ir além...

10/02/2012
3+5=
8


Crescer...
Ir além...
Liberdade, flexibilidade e expansão...
Aceitar as mudanças e criativamente aceitar o novo...
Ar...
Muito ar...
Eu quero crescer...

9 de fev de 2012

Sagrada família...

09/02/2012
11+5=



Família...
A sagrada familía...
Como se encontra nossa família interna?
Pai, mãe e nós mesmos internamente?
Existimos?
Estão todos unidos numa mesma direção? ou cada um puxa para um lado e no fim não saímos do lugar?
Que minha energia masculina e feminina estejam juntos num casamento harmonico e produtivo me ajudando a manifestar a vida que eu crio na presença dos dois...

8 de fev de 2012

Dançar...

08/02/2012
8+2+5=
15





Deixar as projeções para realizar um mergulho interno...
E no instante que escolho fazer este movimento mudo tudo a minha volta...
Eu mudo, o meu mundo muda...
Qual é a lição que as situações em que estou inserida me mostram? 
Estou disposta a aprender com amor... 
Que a flexibilidade chegue a minha vida!



Convite para Dançar

Se sentíssemos a alegria de estar contigo Senhor
Não saberíamos resistir a esta necessidade de dançar que se expande pelo mundo.
Provavelmente, Estás cansado dessa gente que sempre fala:
Em Te servir com ares de capitão,
em Te conhecer com poses de professor,
em Te encontrar com regras de jogo,
em Te amar com amor de rotina.

O dia em que Sonhaste com algo diferente,
Inventaste São Francisco e dele Fizeste o Teu menestrel.

Nosso jeito de gente alegre nos leva a dançar Contigo a dança da Vida.
Para sermos bons dançarinos não precisamos saber para onde nos leva a dança.
Precisamos apenas seguir o ritmo,
ser alegres, ligeiros e sobretudo... flexíveis.
Não precisamos pedir explicações dos passos que Gostas de fazer,
mas deixar-nos transformar em ágeis e vivos prolongamentos do Teu Ser.

Não precisamos seguir em frente a todo custo,
mas saber rodopiar e andar de lado.
Mais do que caminhar, precisamos saber parar e deslizar.
E tudo isto não passaria de desvairada agitação
se a musica não lhe desse uma harmonia

Vem convidar-nos Senhor,
estamos prontos para dançar Contigo a dança do trabalho,
a dança do Amor e mais tarde a do filho.

Se algumas melodias estiverem em tom menor,
não Te diremos que são tristes.
Se outras nos deixarem um pouco ofegantes,
não Te diremos que são cansativas.

E se alguém pisar nos nossos pés,
não o levaremos em conta,
pois sabemos que isto acontece quando a gente dança.

Senhor, ensina-nos a viver a nossa Vida
Não como um jogo de xadrez onde tudo é calculado,
nem como uma competição onde tudo é difícil,
nem como um teorema ou quebra-cabeças
Mas como numa festa sem fim,
Na qual se renovam o encontro Contigo
Baile e Dança nos braços de Tua Graça
Na música Universal do Teu Amor
Senhor, Convida-nos para dançar.



7 de fev de 2012

A benção da diferença...

07/02/2012
9+5=
14/5


Flexibilidade....
Essa palavra anda em alta em minhas conversas com a Dani...
Estamos questionando muito a maneira como lidamos com a vida...
A maneira como postulamos "verdades", que na verdade são pontos de vistas...
E a maneira como não aceitamos os outros...
E hoje pela primeira vez achei essa palavra ligada ao 5...
Então resolvi colocá-la como pauta do dia... rsrs
Desejo profundamente a flexibilidade interna e externa, que meu corpo, minha alma, meu emocional e psicológico possam sentí-la e aprender a lidar com mais essa soma, ótica da flexibilidade.... e que mesmo assim todos consigam existir....

6 de fev de 2012

Big Bang...

06/02/2012
6+2+5=
13/4






A pipoca

Rubem Alves


A culinária me fascina. De vez em quando eu até me até atrevo a cozinhar. Mas o fato é que sou mais competente com as palavras do que com as panelas.


Por isso tenho mais escrito sobre comidas que cozinhado. Dedico-me a algo que poderia ter o nome de "culinária literária". Já escrevi sobre as mais variadas entidades do mundo da cozinha: cebolas, ora-pro-nobis, picadinho de carne com tomate feijão e arroz, bacalhoada, suflês, sopas, churrascos.


Cheguei mesmo a dedicar metade de um livro poético-filosófico a uma meditação sobre o filme A Festa de Babette que é uma celebração da comida como ritual de feitiçaria. Sabedor das minhas limitações e competências, nunca escrevi como chef. Escrevi como filósofo, poeta, psicanalista e teólogo — porque a culinária estimula todas essas funções do pensamento.


As comidas, para mim, são entidades oníricas.


Provocam a minha capacidade de sonhar. Nunca imaginei, entretanto, que chegaria um dia em que a pipoca iria me fazer sonhar. Pois foi precisamente isso que aconteceu.


A pipoca, milho mirrado, grãos redondos e duros, me pareceu uma simples molecagem, brincadeira deliciosa, sem dimensões metafísicas ou psicanalíticas. Entretanto, dias atrás, conversando com uma paciente, ela mencionou a pipoca. E algo inesperado na minha mente aconteceu. Minhas idéias começaram a estourar como pipoca. Percebi, então, a relação metafórica entre a pipoca e o ato de pensar. Um bom pensamento nasce como uma pipoca que estoura, de forma inesperada e imprevisível.


A pipoca se revelou a mim, então, como um extraordinário objeto poético. Poético porque, ao pensar nelas, as pipocas, meu pensamento se pôs a dar estouros e pulos como aqueles das pipocas dentro de uma panela. Lembrei-me do sentido religioso da pipoca. A pipoca tem sentido religioso? Pois tem.


Para os cristãos, religiosos são o pão e o vinho, que simbolizam o corpo e o sangue de Cristo, a mistura de vida e alegria (porque vida, só vida, sem alegria, não é vida...). Pão e vinho devem ser bebidos juntos. Vida e alegria devem existir juntas.


Lembrei-me, então, de lição que aprendi com a Mãe Stella, sábia poderosa do Candomblé baiano: que a pipoca é a comida sagrada do Candomblé...


A pipoca é um milho mirrado, subdesenvolvido.


Fosse eu agricultor ignorante, e se no meio dos meus milhos graúdos aparecessem aquelas espigas nanicas, eu ficaria bravo e trataria de me livrar delas. Pois o fato é que, sob o ponto de vista de tamanho, os milhos da pipoca não podem competir com os milhos normais. Não sei como isso aconteceu, mas o fato é que houve alguém que teve a idéia de debulhar as espigas e colocá-las numa panela sobre o fogo, esperando que assim os grãos amolecessem e pudessem ser comidos.


Havendo fracassado a experiência com água, tentou a gordura. O que aconteceu, ninguém jamais poderia ter imaginado.


Repentinamente os grãos começaram a estourar, saltavam da panela com uma enorme barulheira. Mas o extraordinário era o que acontecia com eles: os grãos duros quebra-dentes se transformavam em flores brancas e macias que até as crianças podiam comer. O estouro das pipocas se transformou, então, de uma simples operação culinária, em uma festa, brincadeira, molecagem, para os risos de todos, especialmente as crianças. É muito divertido ver o estouro das pipocas!


E o que é que isso tem a ver com o Candomblé? É que a transformação do milho duro em pipoca macia é símbolo da grande transformação porque devem passar os homens para que eles venham a ser o que devem ser. O milho da pipoca não é o que deve ser. Ele deve ser aquilo que acontece depois do estouro. O milho da pipoca somos nós: duros, quebra-dentes, impróprios para comer, pelo poder do fogo podemos, repentinamente, nos transformar em outra coisa — voltar a ser crianças! Mas a transformação só acontece pelo poder do fogo.


Milho de pipoca que não passa pelo fogo continua a ser milho de pipoca, para sempre.


Assim acontece com a gente. As grandes transformações acontecem quando passamos pelo fogo. Quem não passa pelo fogo fica do mesmo jeito, a vida inteira. São pessoas de uma mesmice e dureza assombrosa. Só que elas não percebem. Acham que o seu jeito de ser é o melhor jeito de ser.


Mas, de repente, vem o fogo. O fogo é quando a vida nos lança numa situação que nunca imaginamos. Dor. Pode ser fogo de fora: perder um amor, perder um filho, ficar doente, perder um emprego, ficar pobre. Pode ser fogo de dentro. Pânico, medo, ansiedade, depressão — sofrimentos cujas causas ignoramos.Há sempre o recurso aos remédios. Apagar o fogo. Sem fogo o sofrimento diminui. E com isso a possibilidade da grande transformação.


Imagino que a pobre pipoca, fechada dentro da panela, lá dentro ficando cada vez mais quente, pense que sua hora chegou: vai morrer. De dentro de sua casca dura, fechada em si mesma, ela não pode imaginar destino diferente. Não pode imaginar a transformação que está sendo preparada. A pipoca não imagina aquilo de que ela é capaz. Aí, sem aviso prévio, pelo poder do fogo, a grande transformação acontece: PUF!! — e ela aparece como outra coisa, completamente diferente, que ela mesma nunca havia sonhado. É a lagarta rastejante e feia que surge do casulo como borboleta voante.


Na simbologia cristã o milagre do milho de pipoca está representado pela morte e ressurreição de Cristo: a ressurreição é o estouro do milho de pipoca. É preciso deixar de ser de um jeito para ser de outro.


"Morre e transforma-te!" — dizia Goethe.


Em Minas, todo mundo sabe o que é piruá. Falando sobre os piruás com os paulistas, descobri que eles ignoram o que seja. Alguns, inclusive, acharam que era gozação minha, que piruá é palavra inexistente. Cheguei a ser forçado a me valer do Aurélio para confirmar o meu conhecimento da língua. Piruá é o milho de pipoca que se recusa a estourar.


Meu amigo William, extraordinário professor pesquisador da Unicamp, especializou-se em milhos, e desvendou cientificamente o assombro do estouro da pipoca. Com certeza ele tem uma explicação científica para os piruás. Mas, no mundo da poesia, as explicações científicas não valem.


Por exemplo: em Minas "piruá" é o nome que se dá às mulheres que não conseguiram casar. Minha prima, passada dos quarenta, lamentava: "Fiquei piruá!" Mas acho que o poder metafórico dos piruás é maior.


Piruás são aquelas pessoas que, por mais que o fogo esquente, se recusam a mudar. Elas acham que não pode existir coisa mais maravilhosa do que o jeito delas serem.


Ignoram o dito de Jesus: "Quem preservar a sua vida perdê-la-á".A sua presunção e o seu medo são a dura casca do milho que não estoura. O destino delas é triste. Vão ficar duras a vida inteira. Não vão se transformar na flor branca macia. Não vão dar alegria para ninguém. Terminado o estouro alegre da pipoca, no fundo a panela ficam os piruás que não servem para nada. Seu destino é o lixo.


Quanto às pipocas que estouraram, são adultos que voltaram a ser crianças e que sabem que a vida é uma grande brincadeira...


"Nunca imaginei que chegaria um dia em que a pipoca iria me fazer sonhar. Pois foi precisamente isso que aconteceu".



Quero virar pipoca!
Deixar a dura rigidez das minhas certezas...
Renascer a cada dia...
Acredito que o processo de virar pipoca acontece muitas vezes durante a vida...
Basta que eu aceite mudar.
O processo da transformação é intrigante pra mim...
E hoje, compreendi que não da para transformar a ação sem um ato, algo concreto... atitude mesmo...
A pipoca precisa estourar... é seu Big Bang particular... um novo mundo se descortina e nele há vida em abundância... a expansão acontece!