É o grande problema interior, aquele de cada um e de todos. É o problema da alma, que descobre em si mesma um abismo de trevas e de luz, que se contempla com uma mistura de encantamento e de pavor e se diz: "Eu não sou deste mundo, pois ele não é suficiente para me explicar".
Os grandes Iniciados- Édouard Schuré

26 de fev de 2012

Sou grata...

26/02/2011
8+2+5=
6




"Viver é sagrado, estar vivo é sacro, cada momento é divino, assim não temos um plano “espiritual”, “superior”, e um plano "carnal", "material", "inferior", para nós estas são divisões falsas que falseiam o que tocam."
O texto veio daqui!!!

Hoje estava lendo a postagem cujo o trecho está acima que me fez refletir bastante. A dualidade nos pegou de tal maneira que pensamos o espiritual em termos de mundos acima e abaixo. Uma das partes continua sempre a ser negada. 
Elas se entrelaçam, mas não damos conta disto. Ou negamos o corpo, ou negamos nosso espírito. Abranger as múltiplas facetas de mim mesma e simplesmente viver tem sido uma meta. Onde esperamos ter uma vida plena se não somos capazes de realizá-la aqui e agora? Se tudo emanou de Deus, da Divindade porque negar a experiência de estar no corpo? 
Hoje vejo o corpo como uma benção. Ele me dá o tempo que eu preciso para aprender, vivenciar e experimentar coisas novas. Ele me permite focar uma realidade de cada vez. Se assim não fosse poderia me perder na possibilidades. É o passo que eu preciso para poder saltar no infinito sem que eu me desintegre. Sou grata por esta experiência. creio que é a primeira vez que manifesto isto desta maneira... 
Sou grata, sou grata, sou grata...

Nenhum comentário:

Postar um comentário