É o grande problema interior, aquele de cada um e de todos. É o problema da alma, que descobre em si mesma um abismo de trevas e de luz, que se contempla com uma mistura de encantamento e de pavor e se diz: "Eu não sou deste mundo, pois ele não é suficiente para me explicar".
Os grandes Iniciados- Édouard Schuré

26 de fev de 2011

Liberdade

26/02/2011
8+2+4=
14/5


Quem procura a liberdade deve procurar a mudança de livre e espontânea vontade...
Já imaginou isso? Acredito que por isso nos afastamos mais e mais dela... Afinal, tememos mudanças...
Mas porque não pensamos nas mudanças boas? Quantas vezes em nossas vidas somos surpreendidos por milagres? É que estamos tão viciados no medo, na tristeza, no sofrimento, que estes momentos passam tão depressa que mal os registramos.
Hoje quero aproveitar meus momentos de milagre...
Que eles não mais voem com o vento... mas que sejam respirados por mim para que todo o meu ser saiba da sua existência...
Amém...
 PS: Espero que estes recortes de dois livros maravilhosos possa ajudá-lo a estar mais próximo de sua liberdade.

            Liberdade é uma aventura sem fim, onde arriscamos nossas vidas e muito mais por alguns momentos e alguma coisa além dos mundos, além de pensamentos ou sentimentos.
            A busca da liberdade é a única força que eu conheço. Liberdade de voar até aquele infinito lá fora. Liberdade para se dissolver; para decolar; para ser como a chama de uma vela que, mesmo diante da luz de um bilhão de estrelas, permanece intacta, porque jamais pretendeu ser mais do que é: uma simples vela.
            O silêncio interior funciona a partir do momento que você começa a acumulá-lo. O que os feiticeiros antigos pretendiam era o dramático resultado final de atingir aquele limiar individual de silêncio. Alguns praticantes muito talentosos precisam somente de alguns minutos de silêncio para atingir a cobiçada meta. Outros, menos talentosos, precisam de longos períodos de silêncio, talvez mais
de uma hora de completa quietude, antes de atingirem o objetivo desejado. O resultado desejado é o que os velhos feiticeiros chamavam de parar o mundo, o momento em que tudo à nossa volta cessa de ser o que sempre foi.

O Domínio da Consciência, ensinamentos de Juan Matus na obra de Castañeda.

           
            O lugar a ser encontrado está dentro de você mesmo. Aprendi um pouco, a respeito, no atletismo. O atleta que está em excelente forma tem um ponto de quietude dentro de si mesmo, e é ao redor disso, de um modo ou de outro, que sua ação se exerce. Se estiver todo projetado lá fora, no campo ou na pista, ele não conseguirá um desempenho adequado. Minha esposa é bailarina e diz que isso é verdade na dança, também. Existe um centro de quietude, interior, que deve ser conhecido e preservado. Quando você perde esse centro, entra em tensão e começa a cair aos pedaços.
            O nirvana budista é um centro de paz desse tipo. O budismo é uma religião psicológica. Começa com o problema psicológico do sofrimento; toda vida é repleta de padecimento; existe, contudo, uma libertação do padecimento; a libertação é o nirvana, que é um estado da mente ou da consciência, não um espaço físico, em algum lugar, como o céu. Está aqui mesmo, no meio do turbilhão da vida. E o estado que você atinge quando não está mais sendo levado a viver em função de desejos, medos e compromissos sociais compulsivos, quando encontra o seu centro de liberdade e, a partir daí é capaz de agir por opção própria. Ação voluntária, a partir desse centro, é a ação dos bodhisattvas – participação jubilosa nos padecimentos do mundo. Você não está agrilhoado, porque se libertou dos grilhões domedo, da luxúria e dos deveres. Estes são os senhores do mundo.

O poder do Mito, Joseph Campbell

Nenhum comentário:

Postar um comentário