É o grande problema interior, aquele de cada um e de todos. É o problema da alma, que descobre em si mesma um abismo de trevas e de luz, que se contempla com uma mistura de encantamento e de pavor e se diz: "Eu não sou deste mundo, pois ele não é suficiente para me explicar".
Os grandes Iniciados- Édouard Schuré

29 de out de 2010

Cegos do castelo...



29/10/2010
11+1+3=
11+4


Para manifestar o que é tangível (4) precisamos ser fecundos, intuitivos e criativos (11). Desta forma, a estagnação que traz o (4) e compensada pelo 11 que vai além do que esta manifestado. É um ciclo, manifesto e transcendo o que foi manifestado. Assim como uma maquete me ajuda a ter uma maior noção tridimensional do projeto, a manifestação me ajuda a ter uma maior noção tridimensional do meu aprendizado.
A partir de hoje deixe de levar tudo tão a sério. Quando damos importância a tudo: caretas, provocações, um salto quebrado, um pneu furado... deixamos de nos responsabilizar pelo que realmente importa: aprender a viver intensamente de forma plena. As manifestações (4) vêm e vão, e é saldável que seja assim. Prova que estamos vivos. Mas não posso fugir de mim mesmo (11), só na ilusão. Quando o 1 tem consciência do encontro com o 1, a vida se transforma e vai além...
Qual é a manifestação que preciso transcender? Dos cegos do castelo me despeço e vou.

Os Cegos Do Castelo
Composição: Nando Reis

Eu não quero mais mentir
Usar espinhos
Que só causam dor
Eu não enxergo mais o inferno
Que me atraiu
Dos cegos do castelo
Me despeço e vou
A pé até encontrar
Um caminho, um lugar
Pro que eu sou...
Eu não quero mais dormir
De olhos abertos
Me esquenta o sol
Eu não espero que um revólver
Venha explodir
Na minha testa se anunciou
A pé a fé devagar
Foge o destino do azar
Que restou...
E se você puder me olhar
Se você quiser me achar
E se você trouxer o seu lar...
Eu vou cuidar
Eu cuidarei dele
Eu vou cuidar
Ah! Ah! Ah! Ah! Ah!
Do seu jardim...
Eu vou cuidar
Eu cuidarei muito bem dele
Eu vou cuidar
Ah! Ah! Ah! Ah! Ah! Ah!
Eu cuidarei do seu jantar
Do céu e do mar
E de você e de mim...
Eu não quero mais mentir
Usar espinhos
Que só causam dor
Eu não enxergo mais o inferno
Que me atraiu
Dos cegos do castelo
Me despeço e vou
A pé até encontrar
Um caminho, um lugar
E pro que eu sou
Oh! Oh! Oh! Oh!...
E se você puder me olhar
Se você quiser me achar
E se você trouxer o seu lar...
Eu vou cuidar
Eu cuidarei dele
Eu vou cuidar
Ah! Ah! Ah! Ah!
Do seu jardim...
Eu vou cuidar
Eu cuidarei muito bem dele
Eu vou cuidar
Ah! Ah! Ah! Ah! Ah! Ah!
Eu cuidarei do seu jantar
Do céu e do mar
E de você e de mim
Oh! De mim!

Nenhum comentário:

Postar um comentário